O impulsionamento das mídias sociais ocasionado pela pandemia

Por Sergio Aroeira Braga Neto – Diretor Executivo Comercial


As mídias sociais cresceram muito na última década, mas sobretudo neste período de pandemia que estamos vivendo desde março de 2020. Em virtude do isolamento social e medidas preventivas que comprometem as experiências e o contato presencial, praticamente, todas formas de relações passarem a ocorrer de forma “online”. Devido a isso, o uso das redes sociais e inúmeras plataformas digitais foi potencializado, e as empresas tiveram de se reinventar, fazendo uso de tais plataformas, à fim de crescerem e expandirem ainda mais suas áreas de atuação.


Apesar da ausência do contato com outras pessoas, não podemos negar que as atividades realizadas através das plataformas digitais, como Google Meet, Zoom e outras, são muito mais cômodas. O simples fato de não precisarmos sair de nossas casas para trabalhar e/ou ir à faculdade, por exemplo, permite melhor planejamento de horários e tarefas, otimizando o tempo. Todavia, existem diversos pontos negativos, como a desvalorização do serviço prestado. Como o chamado “home office”, de certa forma, demanda menor disponibilidade de tempo e maior flexibilidade nas funções, o que contribui, inclusive, para maior proatividade dos colaboradores, muitos contratantes reduziram a remuneração salarial da equipe e de novos contratados, o que indica que essa forma de trabalho será cada vez mais recorrente em diferentes contextos, por ser benéfica às instituições.


Nesse sentido, temos que nos acostumar com esse atual momento que estamos passando, pois essas mudanças permanecerão no nosso cotidiano pós pandemia, justamente pela praticidade da vida “online”. Atualmente, a internet é bem mais acessível do que anos atrás, e isso não pode ser ignorado - dita “Era digital” veio para ficar, e temos que nos acostumar a ela. Embora muitos desafios de acessibilidade ainda existam, as adaptações ao formato vão ditar muitos dos processos de venda e prestação de serviços.


Aqui vem a importância das redes sociais nesse mundo totalmente conectado: grande parte das empresas e lojas que querem se manter firmes no mercado estão investindo no “marketing digital” feito através de plataformas como Instagram, Facebook, LinkedIn. A realidade das empresas que não estão “aceitando” essa realidade, ou aquelas que não possuem condição para tal, está sendo difícil e estão “ficando para trás” em termos de alcance, conectividade e inovação.


Para donos de empresa, lojas ou profissionais autônomos, é fundamental um bom uso das redes sociais. Quando o assunto é o engajamento das marcas, o Instagram é a rede social com maior influência no mundo, enquanto o Facebook vem em segundo lugar. Além disso, o WhatsApp teve crescimento de quase 80% em 2020, o que mostra a importância e força do meio digital para a manutenção de empresas. Uma pesquisa interessante, de janeiro desse ano, realizada pela Sebrae em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, aponta que 70% das empresas de todo o mundo recorreram às redes sociais no período de pandemia, evidenciando ainda mais o poder dessas plataformas e como elas são, cada vez mais, necessárias.


Como não estamos podendo ter contato com outras pessoas, até nossos momentos de distração e lazer ocorrem através das redes sociais. Estamos, quase que 24 horas por dia, conectados, seja por necessidade ou propriamente por distração, o que só aumenta a importância de estarmos, tanto como pessoas comuns quanto como consumidores ou empresários, atentos à importância e aos benefícios do marketing digital.



0 comentário

Posts recentes

Ver tudo