Marketing Digital e BBB21: a importância de uma estratégia coerente

Apesar de ser um reality show antigo, que teve início nos anos 2000, a cada ano

que passa o Big Brother Brasil surpreende o público com um engajamento maior

que o da edição anterior. Mas o que explica esse sucesso? A resposta é simples:

mais que um programa de TV, o BBB se transformou no mais novo jeito de fazer

marketing digital.


Estar nas mídias sociais nunca foi tão imprescindível e, ao mesmo tempo, tão

valorizado por pessoas e empresas. Assim como ter um bom engajamento nas

redes sociais se tornou ferramenta fundamental para gerar relevância. E no BBB

não poderia ser diferente! Com a entrada de figuras públicas – conhecidas como

“camarote” – no jogo, o reality virou palco de diversas jogadas de marketing.


Mas como o Marketing e o BBB se co-relacionam?!

Assim que os participantes entram no BBB, eles deixam de ser “pessoas normais”.

Tornam-se marcas — ou continuam a ser, no caso dos famosos, mas com

proporções muito maiores. Mais do que a imagem que estão passando no reality, há

todo um gerenciamento simultâneo feito aqui fora, que pode, inclusive, colaborar ou

atrapalhar na trajetória dentro da casa.


Como exemplo de uma boa estratégia de marketing está a participante do time

“pipoca” Juliette Freire que se tornou o maior fenômeno do BBB 21 e conquistou

milhões de seguidores em suas redes sociais, principalmente no instagram, onde

antes do programa seu perfil tinha pouco mais de 3 mil seguidores e atualmente

conta com 22,6 milhões de seguidores e tendem a crescer cada vez mais. A rede

social da paraibana se tornou o perfil com um dos maiores engajamentos do país.


De acordo com o Hype Auditor, o perfil da sister ocupa a 17a posição do ranking

dos mil maiores influenciadores do Instagram no Brasil, 172a na posição global.

Para atingir esse feito incrível, a equipe de Juliette conta com o trabalho de 20

profissionais, entre eles estão especialistas como: social medias, designers,

redatores, videomakers, gerenciamento das contas, analista de directs (quem

responde as interações nas redes, uma espécie de SAC), gestor de conteúdo, etc.


A equipe tem como base destacar seus pontos fortes no programa. Seus posts são

estrategicamente publicados em horários nos quais as redes sociais estão mais

aquecidas, o que torna mais previsível uma possível viralização do conteúdo. Além

disso, a equipe se posiciona muito bem em todas as redes.


Fica claro que ter uma boa estratégia de Marketing Digital é de grande importância

para a permanência de um participante no programa. Uma publicidade bem feita,

com um posicionamento coerente, trás muitos seguidores. Mas também, não ter um

plano logo que acontece algo com o participante, como uma fala incorreta, pode

acarretar grandes perdas e até o “cancelamento”.


Prova disso, foi o que aconteceu com vários participantes nesta edição, como Karol

Conká. Ao entrar no programa a cantora tinha cerca de 1,5 milhões de seguidores, e

ao decorrer dos acontecimentos na casa, perdeu em torno de 200 mil fãs. Karol se

mostrou incoerente na sua estratégia de marketing digital, ou seja, mostrou atitudes

diferentes daquelas que costumava pregar no mundo virtual. Atualmente, com a

elaboração de uma boa estratégia de Marketing Digital, a cantora tenta recuperar

sua imagem e seus seguidores em suas redes sociais.


Por que uma boa equipe de marketing faz tanta diferença e pode impulsionar o

participante para final?

As equipes têm o desafio de traçar as estratégias certas para impulsionar os

participantes. Estratégias como Community management e Social Listening são

imprescindíveis.


Community management é um tipo de SAC 3.0, focado em interação humana e

diálogo. Social listening, por sua vez, é um monitoramento de menções da marca

que estão circulando por toda a internet, através de ferramentas próprias para isso.

Esses dois polos de atuação constroem uma relação com o público que o

participante sozinho, isolado, não teria como construir. É claro que a atenção ainda

está majoritariamente voltada para o reality, mas são as interações nas redes que

aumentam ou reduzem o impacto das ações tomadas no programa.


O monitoramento é a base principal. É preciso entender não apenas o que as

pessoas estão falando da sua marca dentro da sua página, mas também o que

falam em outros fóruns, visto que o BBB é um jogo que envolve convivência. É por

isso que, muitas vezes, um participante fala suas preferências dentro do reality, mas

sua equipe discorda e mostra apoio a outra pessoa. Quem está aqui fora sabe como

repercute o apoio às pessoas mais queridas ou mais rejeitadas.


Tendo isso em mente, a conclusão é que essa edição do BBB 21 nos traz

ensinamentos valiosos sobre o marketing digital e o quanto ele está sendo

imprescindível nessa edição e será pré-requisito nas próximas que virão. É certo

que independente de quem aceite o desafio no ano que vem, esteja acompanhado

de uma equipe preparada do lado de fora para impulsionar suas respectivas redes

sociais.


0 comentário